Dicas Sexo Veja Tudo
Dicas Sexo Veja Tudo
Dicas Sexo Veja Tudo
Dicas Sexo Veja Tudo
Dicas Sexo Veja Tudo
Dicas de conquista, massagens, pompoarismo, técnicas, posições e muito mais...

Parafilias e o Sexo


    Em linhas gerais, podemos dizer que as parafilias ou transtornos de
preferência sexual são distúrbios diretamente relacionados à "escolha" do
objeto sexual. Não é uma situação esporádica : é uma necessidade para se
chegar a uma determinada resposta sexual. A maioria dos praticantes da
parafilia são os homens.

    Talvez os mais extremos e radicais de todos os fetiches, sejam
coprofilia e a misofilia que são as práticas sexuais que mais curiosidade
tem despertado nos últimos tempos. Porém existem registros desse tipo de
atividade sexual desde os primórdios da civilização humana. Na Roma antiga,
por exemplo, existem registros até mesmo de senadores, que ejaculavam
intensamente quando prostitutas defecavam sobre seus rostos.

    Há vários tipos de parafilia. Muitas são aceitas pela sociedade pois
não ferem os costumes nem outras pessoas.
    Mostraremos aqui as características das mais conhecidas:

    Fetichismo
    Uso, ou fantasias de uso, de objetos inanimados com a finalidade de
estímulo para a realização sexual; muitas vezes os objetos são extensões
do corpo humano, como por exemplo, meias ou luvas

    Exibicionismo
    Exposição da genitália a estranhos, com o intuito de chocar.
Geralmente é um homem heterossexual, muitas vezes casado e com uma vida
sexual ativa.

    Pedofilia
    Preferência sexual por crianças pré-puberes ou no início da
puberdade. Alguns autores estabelecem uma idade máxima de treze anos para
a caracterização de pedofilia. O interesse pode ser por meninas, meninos,
ou ambos. Se o comportamento é estabelecido por outra criança, ou um
adolescente, deve-se tomar muito cuidado para estabelecer este diagnóstico,
pois pode se tratar de um acontecimento isolado. As vezes este quadro
também pode ser caracterizado como incestuoso.

    Sadomasoquismo
    Alguns autores dividem em quadro separados, sadismo e masoquismo,
outros não. Envolve submissão e/ou inflição de dor, humilhação ou
sofrimento. O sufocamento como forma de aumentar o prazer pode ser
incluído como um comportamento sadomasoquista.

    Tranvestismo fetichista
    Uso de roupas do sexo oposto para a obtenção de prazer sexual.
Geralmente é um homem heterossexual, que após a masturbação ou o ato
sexual desvencilha-se das roupas. Não deve ser confundido com o que
popularmente chamamos de travesti, que é um homossexual que se veste de
mulher com o intuito de atrair outros homens. Nem deve ser confundido,
também, com transexual

    Voyeurismo
    Ato de observar, sem a anuência ou consentimento, uma pessoa despir-
se, ou em atividade sexual. Geralmente é acompanhada de masturbação.
Atitudes esparsas de voyeurismo na adolescência é comum e não deve ser
considerada anormal. O uso de filmes ou revistas pornográficas para a
excitação sexual, também não deve ser considerado patológico ou voyeur,
tendo em vista que são confeccionados para esta finalidade


    Zoofilia
    Praticar sexo com animais é o que dá prazer aos praticantes da
zoofilia.  Assistir cópulas de animais também pode ser fator de excitação
para eles. Em algumas regiões, principalmente nas rurais, é comum pessoas
que mantém relacionamento com animais. A prática desaparece quando o
indivíduo inicia um relacionamento com humanos.

    Necrofilia
    Os necrófilos são tidos, quase sempre, como psicóticos e sofrem desse
distúrbio considerado grave. Eles só alcançam o prazer ao manter relações
sexuais com cadáveres. As relações sexuais normais não interessam a eles.

    Frotteurismo
    Excitação advinda do ato de encostar os órgãos sexuais ou esfregá-los
no corpo de pessoas desconhecidas em meio à multidão. Ocupa o 4º lugar na
lista de incidência de pacientes em tratamento.

    Coprofilia
    O indivíduo excita-se e obtém prazer através do contato com
excrementos ou inalação de seu cheiro.
    Quando a estimulação erótica se dá através do cheiro da urina, pode
ser chamada de renifleurismo; se a urina for ingerida, chama-se urofilia.


    Acrotomofilia
    Preferência por pessoas que tenham alguma parte de seus corpos
amputada, pois a excitação é proporcionada justamente pela falta daquela
parte.  Quando a excitação acontece quando um membro do próprio corpo é
amputado, chama-se apotemnofilia ou amelotatista.

    Agalmatofilia
    Excitação provocada pela observação de estátua ou modelo
representativo de pessoa nua. Se a excitação acontece não apenas com a
observação, mas com o uso da estátua, pode ser chamado de pigmalionismo

    Autonepiofilia
    A pessoa se excita ao fingir que é um bebê de fraldas e seu parceiro
a trata como tal. Outras variações neste estilo são o infantilismo
parafílico, quando a pessoa finge ser uma criança, de qualquer idade, ou
juvenilismo parafílico, quando se finge ser um adolescente.

    Misofilia
    O indivíduo se sente excitado se cheirar, mastigar ou realizar outra
ação com roupas sujas, suadas ou com artigos de higiene menstrual
(absorventes, toalhas higiências etc).

COMPARTILHE ! - Passe o mouse na figura abaixo:
Compartilhe, adicione aos favoritos na web, ou recomende via e-mail !



O prazer da dor !


    O sadismo é o ato de infligir dor e sofrimento, em outra pessoa,
físicos ou psicológicos, para se alcançar a excitação sexual. O termo vêm
de Marquês de Sade (1740-1814), autor francês que escreveu livros de
caráter erótico, falando da crueldade como forma de obtenção de prazer.

    Freud define 3 tipos de masoquismo:
    Feminino - os fantasmas masoquistas significam ser castrado, submeter-
se ao coito ou dar a luz. A castração é deslocada, deixando nos fantasmas
"traços negativos", sentimento de culpa e cenas de punição para exprimir
uma falta. Não está relacionado, nem com a mulher (caráter do sexo
feminino) nem com a perversão sexual, e sim, ao masoquismo primário,
pulsão de morte, onde se manifesta o prazer da dor.

    Masoquismo erógeno - seria a angústia presente em todas as fases da
organização libidinal e o que pode vir a se tornar uma verdadeira
perversão masoquista, onde predomina o prazer da dor ligado ã sua
erotização.

    Masoquismo moral - ao contrário da erotização dos tormentos
infligidos pela pessoa amada, o que importa é o sofrimento em si, se ferem
a si mesmo e posteriormente volta a ligar-se ao erotismo: É um modo de
satisfazer um sentimento de culpa (inconsciente). Seria a conjunção do
masoquismo erógeno e a severidade do super-ego em recriminar o complexo de
Édipo, que encontraria uma moral ressexualizada e o complexo de Édipo
ressuscitado, abrindo-se uma via da moral ao complexo de Édipo.

    Organização
    Para todo sádico há um masoquista. Nas palavras dos S&M, para todo
senhor há um escravo. O senhor é quem gosta de dominar, bater, humilhar o
outro. O escravo simplesmente ouve e acata as ordens do seu mestre. Na
base da hierarquia S&M, está o servo, que de tão insignificante não merece
nem ser humilhado, pois não tem direito ao prazer. O servo é sempre um
masoquista, mas só poderá ser castigado quando ascender à categoria de
escravo. A ele, cabem as funções mais desprezíveis, como faxina e
arrumação do local. Geralmente, um escravo nunca se tornará senhor, pois
seu prazer está justamente em ser castigado e humilhado.

    Apesar do senhor ter total dominação sobre seu escravo, os limites do
jogo são estabelecidos antes do sexo. Geralmente, as partes conversam em
pé de igualdade e definem até onde se pode chegar: ser tratado como
cachorro ou amarrado e amordaçado, por exemplo. Ao contrário do que se
pode imaginar, quem determina o limite é o submisso, não o dominador. Como
é ele quem sofre, estipula até onde pode chegar seu flagelo sem que haja
prejuízos à sua saúde física e intelectual.

    Definidas as regras, é hora de partir para a prática. O jogo só
termina quando o dominador quiser ou quando a 'safe word' (senha de
segurança) for acionada. A safe word é previamente combinada e pode ser
uma palavra, expressão, gesto ou ação utilizada, e serve para que o
escravo demonstre que já chegou ao limite máximo de dor e humilhação. A
safe word não pode ser dita sem necessidade - caso contrário o dominador
aplica punições severas em seu escravo -, mas deve ser usada toda vez que
o dominado julgar necessário. Neste caso, o senhor pára imediatamente o
jogo.

    Não há relação de fidelidade do senhor para com o escravo. Se o
dominador quiser, pode ter vários submissos. O dominado, entretanto, só
pode servir a mais de um senhor se for vendido, alugado ou emprestado.
Esta prática pode parecer estranha entre os 'baunilhas' - termo que
identifica quem não pertence ao universo sadomasoquista -, mas é comum
para os S&M.

    Práticas
    Existem vários níveis de tortura e humilhação sadomasoquistas. Não há
nenhum tipo de 'graduação', portanto cada um faz o que prefere e não
precisa passar por todas os tipos. O prazer da dor e da dominação é o que
vale, e um completa o outro. Quem gosta de simplesmente levar tapas na
cara pode apanhar a vida inteira e sentir-se satisfeito. Mas há quem
prefira pegar mais pesado, e se isto for prazeroso e não trouxer nenhum
malefício à saúde, 'laisse faire'.

    Há pelo menos três níveis de punições, que vão do leve ao pesado. No
sadomasoquismo leve, estão incluídos os tapas - no rosto ou qualquer lugar
do corpo -, imitação de animais e arranhões leves. O bondage, que consiste
em amarrar os tornozelos e pulsos, também entra nesta categoria. Para os
que curtem mais sofrimento, há o famoso chicotinho, além da cera de vela -
derretida, jogada sobre o corpo - e os prendedores de mamilos, usados
tanto em homens quanto em mulheres.

    O máximo do sofrimento, o chamado SM Hard, consiste em introduzir a
mão e o punho no ânus ou vagina do submisso. Esta prática pode causar
lesões e só deve ser feita pelos iniciados. A coprofilia - ingestão de
fezes - e a chuva dourada, onde um urina na boca do outro, completam este
tipo de SM.

    Patologia ou Fetiche?
    Afinal, sádicos e masoquistas são 'normais'? Em se tratando de sexo,
definir normalidade não é tarefa fácil. O sexólogo Rogério Rodrigues da
Silva afirma que, enquanto ambos estiverem satisfeitos, seja batendo ou
apanhando, tudo bem. Se não houver perda da integridade física ou
psicológica de nenhum dos envolvidos, o prazer é o que vale, mesmo que ele
venha com a dor de uma vela quente ou em obrigar o outro a comer em tigela
de cachorro. "O problema é quando o prazer só se dá dessa forma. Aí a
prática se torna uma obsessão", afirma. Neste caso, fica caracterizado um
desvio de comportamento sexual.

    Para Alberto Murta, doutor em psicanálise pela Universidade da França,
todos nós temos um pouco de sádicos e masoquistas. Ele explica que é
difícil isolar as causas desse tipo de comportamento. Entretanto, afirma
que "forçosamente, algo aconteceu na infância do sujeito para que ele
tenha esta preferência atualmente". Para a psicanálise, a infância é a
matriz em torno do qual o indivíduo estrutura sua sexualidade.

    O sadismo ou masoquismo podem, em alguns casos, ser considerados
patologias. O sádico patológico é aquele que não tem limites. Enquadram-se
nesta categoria os psicopatas e os estupradores. A intenção é ver o
sofrimento, a dor e a humilhação do outro, sem se importar com a saúde. Os
sádicos patológicos devem ser punidos pela lei e tratados por psiquiatras.
Já o masoquista patológico é uma ameaça a si próprio, pois sua intenção é
causar dor a si mesmo, muitas vezes mutilando-se ou castrando-se.

    Limites
    Apesar do prazer máximo para o sádico ser o sofrimento alheio, há
limites para a prática do sadomasoquismo. Todo S&M sabe que é um jogo
baseado na tríade "são, seguro e consensual". Em primeiro lugar, a pessoa
tem que saber em que terreno está pisando, senão não há como praticar. Ter
certeza de que ninguém sairá machucado após uma sessão também é
imprescindível, por isso a segurança é tão importante. E, acima de tudo,
tem de haver consenso entre as partes para definir que práticas serão
permitidas ou não. E isto é mais importante que a relação dominador-
escravo.

    Tapinhas no rosto ou velas derretidas, ser tratado como cachorro ou
açoitado com chicote, humilhar o outro ou castigá-lo com desprezo. Se você
e seu parceiro têm vontade ou curiosidade, tentem. Se não gostarem da
experiência, bola para frente. O que vale é a busca do prazer, mesmo que
ele venha com um tapa. Afinal, para muitos, dor e amor andam lado a lado.
O importante para nos adeptos do S&M é que as praticas sejam sãs para a
mente, sanas para o corpo e consensuais.

COMPARTILHE ! - Passe o mouse na figura abaixo:
Compartilhe, adicione aos favoritos na web, ou recomende via e-mail !



Origem do Dia dos Namorados


No Brasil...
     "Não é só de beijos que se prova o amor." Com esse slogan, o
publicitário João Dória instituía no Brasil o Dia dos Namorados. Na época
ele era presidente da Standart Propaganda, responsável pela campanha
publicitária da loja Exposição Clíper – uma das mais modernas da década de
40.
    A comemoração era inspirada no Valentine's Day (Dia de São Valentim)
norte-americano, mas os comerciantes paulistanos propuseram um ajuste no
calendário. Tinham, para isso, dois motivos: aquecer as vendas no mês de
junho, tradicionalmente fraco nesse aspecto, e aproveitar a proximidade do
dia 13, festa do santo casamenteiro. O sucesso não foi imediato. Foram
precisos muitos anos para que a data se tornasse sinônimo de romantismo e,
é claro, de consumo.
    Atualmente o Dia dos Namorados é a terceira melhor data comemorativa
para o comércio. Só perde para o Natal e para o Dia das Mães.
    Na Europa e na América do Norte, a festa dos amantes é
tradicionalmente comemorada no dia 14 de fevereiro, dia de São Valentim. A
origem do Valentin's day tem suas raízes na época do imperador romano
Claudius II Gothicus, aproximadamente 300 anos antes de Cristo. Nessa
época, todos os homens da cidade eram obrigados a irem para a guerra, mas
os homens mais velhos não queriam ir para não abandonar suas famílias, e
os homens mais jovens se recusavam a ir para não abandonar as suas
namoradas. Isso de fato era um grande problema para o império, pois a
conquista e defesa das terras era o mais importante para eles. Com isso  o
imperador na época Cláudio, conhecido como "o cruel" teria proibido a
realização de casamentos a fim de obrigar os homens a irem de fato para a
guerra. Um religioso conhecido como "Valentine" teria desobedecido a ordem
do imperador e realizado casamentos encondido. Cláudio descobriu e ordenou
que o padre Valentine fosse aprisionado. Mesmo na cadeia continuava
casando os apaixonados, até ser decapitado no dia 14 de fevereiro. A
comemoração do Dia dos namorados nessa data seria em homenagem a esse
santo protetor das paixões.
    Existe também uma outra versão, datando da Idade Média, que seria
baseada nos movimentos dos pássaros. No hemisfério Norte, em meados de
fevereiro os pássaros começam o seu movimento de namoro. Vocês já
repararam o jogo de sedução dos pássaros? Vale a pena sentar num banco de
praça e reparar na " dança de sedução" dos pombos, é lindo e a pomba faz
um doce danado! Se baseando nos animais, os humanos decidiram fazer uma
festa comemorando a fertilidade. Nesse dia as moças do vilarejo escreviam
declarações de amor que colocavam em uma grande urna. Depois cada rapaz
pegava um papelzinho e fazia a corte à moça que tinha escrito os versos.
Mesmo se as origens do Valentin's day são nebulosas, algumas frases de
declaração de amor, como " I love you" , " Be my valentine!", " Be mine!",
" From my heart to yours!" e " Every day with you is Valentine's Day for
me!" se tornaram internacionais.
    E o nosso Santo Antônio? Essa estória já é mais divertida, e é mais a
nossa cara. Parece que uma moça bonita e solitária estava à procura de um
namorado e dirigia suas preces a Santo Antonio. O tempo foi passando e ela
continuava só. Um dia ao olhar-se no espelho, reparou que o tempo também
passava para ela e o Santo não escutava suas preces. Num gesto de raiva e
desilusão, pegou a estatueta do Santo e jogou-a pela janela. O objeto caiu
na cabeça de um jovem rapaz que passava pela rua, e desmaiou. A moça
escutando os gritos desceu para ver o que tinha acontecido, deu os
primeiros cuidados ao rapaz. Este ao abrir os olhos e vê-la, apaixonou-se
perdidamente. Acabaram se casando, e esperamos nós, viveram felizes para
sempre...

COMPARTILHE ! - Passe o mouse na figura abaixo:
Compartilhe, adicione aos favoritos na web, ou recomende via e-mail !



ZONAS ERÓGENAS


    Zona erógena é qualquer parte do corpo que pode desencadear excitação
sexual. Isso cabe também àquelas áreas extragenitais que respondem a
estímulos térmicos ou tácteis.
    Todo o nosso corpo da cabeça aos pés é um banquete virtual de
sensualidade, erotismo e prazeres orgásticos. Mas a maioria das pessoas
desconhece o seu próprio potencial erótico e despreza algumas zonas de seu
corpo que podem proporcionar prazer se forem tocadas de maneira correta e
sempre com muito carinho.
    Alguns acham que os órgãos genitais são os únicos que podem gerar
prazer, principalmente os homens, que por desconhecimento ou por comodismo
se detém apenas aos genitais, desprezando outras formas de prazer.
    Não basta serem pontos nervosos; as zonas erógenas são áreas muito
particulares de cada pessoa. O que para um pode ser uma zona de excitação,
para outro pode não ser estímulo algum.
    Conheça agora algumas formas de dar e desfrutar um prazer intenso,
você irá se surpreender com o resultado. Entregue-se à sua própria
natureza criativa. Use essas técnicas e idéias como um ponto de partida e
então se sinta à vontade para inventar seus próprios petiscos amorosos.
    - Lamba todos os dedos dos pés dele, outro dia peça para ele fazer o
mesmo com você.
    - Segure a mão e chupe os dedos como se estivesse fazendo sexo oral.
    - Enfie um dedo na boca do parceiro enquanto se beijam.
    - Brinque com a língua na orelha é uma zona super sensível.
    - Peça para ele mordiscar seu peito. Brincar com os dentes bem
devagar. Faça o mesmo com os mamilos dele.
    - Brinque com a região anal. Vale tudo: língua, dedos...
    - Puxe um pouquinho o cabelo é muito excitante.
    - Morda levemente todo o corpo ou deslize a língua suavemente.
    - Use as unhas de levinho arranhando as costas e o bumbum.
    - Peça para não fazer a barba por um ou dois dias e deixe-o arranhar
seu corpo com o rosto.
    - Com a ponta dos dedos faça movimentos circulares ao redor do umbigo
e vá descendo em direção à virilha.
    - Coluna, esta é uma área extremamente sensível, principalmente nos
homens, carinhos nesta região podem provocar reações quentes e
inesperadas.
    - Períneo, a pequena área entre o ânus e o escroto é um dos pontos
mais sensíveis, secretos e sensuais num homem, o simples fato de
pressionar o dedo nessa região provoca uma enorme onda de prazer.
    - Parte interna das coxas, aquela área macia que vai da região de
cima do joelho até a virilha, é uma fonte de sensaç1oes sensuais, explore
delicadamente com a língua, lábios, morda devagar. O ponto onde a coxa se
encontra com a pelve é a mais sensível, dedique-se a esta região e
provocará muito prazer ao seu parceiro.

    ALGUMAS ZONAS ERÓGENAS

    "Ponto G"
    Ainda esta em estudos tanto a existência quanto à função do ponto "G",
em inglês, G-spot ou Grafenberg spot.
    É mais ou menos equivalente à próstata masculina, consistindo em uma
região, não necessariamente um ponto, onde alojam-se as glândulas de Skene,
que cercam a uretra.
    Não é visível aos olhos e um tanto duvidoso ao tato, situa-se logo
abaixo do osso púbico, profundamente na parede anterior da vagina, entre
sua abertura e o colo do útero.
    Na prática, é alcançado e passível de estimulação, ao se introduzir
toda a extensão do dedo indicador na vagina, ou com o pênis em algumas
posições sexuais favoráveis.
    Cerca de 70% das mulheres em quem a estimulação do ponto "G" foi
tentada, relatou-o como uma área bastante sensível e, se devidamente
estimulada, levaram-nas a experimentar um orgasmo bastante intenso.
    O outro grupo 30% das mulheres, nada sentiram, inclusive, relataram
que a estimulação despertou vontade de urinar (talvez pela proximidade com
a uretra).
    Ao ponto "G", é atribuído à capacidade de induzir a uma " ejaculação
feminina ", fenômeno ainda não muito bem esclarecido e nem comprovado
cientificamente.
    O certo é que, se for de interesse do casal, vale a pena explorar
mais esta forma de prazer.
    No homem o equivalente ao ponto G feminino é a próstata e pode ser
estimulada da mesma forma.


    "Clitóris"
    O clitóris é o principal ponto de estímulo para a mulher e o que gera
sempre o orgasmo.
    Embora algumas pessoas afirmem não existe diferença entre orgasmo
clitoridiano e vaginal.
    Existe muita variação individual, biológica, entre as mulheres. Mesmo
quando ocorre a penetração, o clitóris é estimulado pela fricção do pênis
e o repuxamento da mucosa que envolve o clitóris.
    Creio que para as mulheres o importante é obter o orgasmo e a questão
se ele é clitoridiano ou vaginal fica secundária.
    O equivalente ao clitóris no homem é a cabeça do pênis.

    "Pescoço"
    Por ligar a cabeça ao resto do corpo, o pescoço contém diversas
terminações nervosas. Carícias em toda essa região podem ser altamente
excitantes. A nuca, inclusive, é uma das partes mais estimuláveis, pois é
um ponto de relaxamento do corpo e quando acariciada da maneira correta
pode provocar ótimas sensações.

    "Cabeça/Cabelos"
    Você já deve ter notado que muitas mulheres brincam com seus cabelos?
Não é apenas um tique nervoso, nem para o cérebro pegar no tranco; nós
fazemos isso por que é gostoso. Há grandes chances de que a mulher deseje
que você brinque com eles. O couro cabeludo pode ser muito sensível à
estimulação, e uma vez que ela não espera que você dispense qualquer
atenção com ele, surpreenda-a. "Escovar seus cabelos pode ser uma
experiência bastante sensual", diz Zilbergeld. Ou deixe seus dedos
escorrerem por entre os fios enquanto você a beija, ou simplesmente faça
um cafuné na sua cabeça."

    "Lóbulos da orelha"
    Toda a orelha pode ser considerada uma zona erógena. Mas à parte de
trás, em especial, pois passa um ligamento chamado de "linha quente". Como
todas as regiões extragenitais, a orelha é mais sensível na mulher que no
homem.
    No começo de relacionamento, essa é uma região muito explorada por
ser bem acessível. Algumas vezes, depois que a intimidade maior surge, a
orelha é um pouco esquecida.

    "Axilas"
    Em outras culturas, as axilas são zonas erógenas, principalmente,
quando não estão raspadas.

    "Parte interna do braço"
    Carícias leves na região interna do braço é muito agradável e pode
ser considerada uma demonstração de carinho e ternura ao iniciar uma
relação sexual.

    "Nádegas"
    O estímulo nas nádegas e também no espaço entre elas pode ter
intensidade variável, mas certamente existirá excitação. Talvez por isso o
bumbum é atrativo tanto para homens quanto para mulheres.

    "Coxa"
    A coxa já é uma região sensível. A parte interna então, devido à
proximidade com os genitais, quando acariciada levemente, mistura fantasia
e desejo de que essa sensação não acabe.
    Deve ser uma região bastante explorada antes de chegar aos genitais.

    "Umbigo"
    O umbigo permite uma série de sensações sexuais. Pode receber o dedo,
a língua, o dedão e dar grande prazer.

    "Seios"
    Acariciar as mamas levemente ou de maneira mais enérgica, até mesmo a
sucção, pode dar prazer tanto à mulher quanto ao homem. Muitas pessoas
podem chegar ao orgasmo sendo estimuladas nesse órgão. Para a mulher, o
volume dos seios não interfere na sensibilidade aos estímulos sexuais.

    "Pés"
    Para muitos, os pés são muito excitantes sexualmente. As cócegas nas
plantas dos pés podem ser extremamente prazerosas para alguns e suplícios
para outros.

    "Pontos Leves"
    Aqui está onde você realmente pode ser criativo. Tente oferecendo
beijos atrás dos seus joelhos, na parte interna dos braços, das coxas ou
na nuca. As mulheres adoram ter essas áreas gentilmente acariciadas,
lambidas ou assopradas. Cuidado: essas áreas também são feitas de pele bem
macia, portanto não caminhe através das sombras. "Estimular gentilmente
essas regiões será muito mais prazeroso do que brutalmente ou de qualquer
maneira", diz Lonnie Barbach, Ph. D., psicólogo e terapeuta sexual em São
Francisco e editor do livro "Seductions". "Capturar o predador é metade do
jogo ganho". Muitas pessoas não percebem que usar cinta-liga pode ser
erótico. É o maior show. E se você prestar atenção a esses pontos, a paz
está prevalecida e você a levará às alturas."

    "Períneo"
    O períneo, área entre a vagina e o ânus, ou entre o escroto e o ânus,
é muito sensível para a maioria das mulheres e homens e normalmente não é
explorado", diz Seiler. "Ele é feito de uma pele similar a dos lábios
vaginais e, portanto possui um monte de terminações nervosas". Também é um
elemento excitante, diz De Villers. "Não é uma parte do corpo que está
normalmente exposta, portanto ela se sentirá como se estivesse lhe dando
privilégios especiais, que podem ser excitantes". Porque é sensível,
penetre primeiramente com um toque suave e enquanto ela está se excitando,
retire, diz De Villers. Para uma tentativa mais agradável, experimente
usar um pequeno lubrificante artificial ou óleo de massagem."

COMPARTILHE ! - Passe o mouse na figura abaixo:
Compartilhe, adicione aos favoritos na web, ou recomende via e-mail !



Procurar no blog:
Procurar por
No Sexo Veja Tudo
Postagens Anteriores
Arquivo
Sobre o Blog

O Blog de Sexo do Veja Tudo foi criado com objetivo instrutivo, para mostrar aos visitantes, dicas diversas, para aumentar cada vez mais o prazer nas relações com seu parceiro. Fique á vontade, para comentar as postagens ou indicar para amigos.




Bate Papo
Parceiros
Links

Cadastre-se no feed !
[O que é isso?]

Cadastre-se para receber as notícias do blog, por e-mail:

Tecnologia FeedBurner




Yahoo bot last visit powered by MyPagerank.Net
Msn bot last visit powered by MyPagerank.Net



tracker